sexta-feira, 22 de junho de 2012

ArquiOlhares: Inhotim - Instituto de Arte Contemporânea e Jardim Botânico

Alguns dias atrás, conheci um lugar realmente encantador.
O Instituto de Arte Contemporânea e Jardim Botânico Inhotim, em Brumadinho MG é a mistura perfeita e totalmente equilibrada entre natureza, arte, arquitetura e paisagismo.
O lugar é realmente uma experiência multisensorial e merece destaque, visitação e incentivo.
Tantas pessoas vão pro exterior em busca de tais experiências e acabam perdendo a oportunidade de conhecer e valorizar o que temos de melhor aqui mesmo, dentro do Brasil. Pra quem tem planos de viajar pra Minas Gerais, fica a dica!






Inhotim


Inhotim caracteriza-se por oferecer um grande conjunto de obras de arte, expostas a céu aberto ou em galerias temporárias e permanentes, situadas em um Jardim Botânico, de rara beleza. O paisagismo teve a influência inicial de Roberto Burle Marx (1909-1994) e em toda a área são encontradas espécies vegetais raras, dispostas de forma estética, em terreno que conta com cinco lagos e reserva de mata preservada. O Instituto Inhotim, Organização da Sociedade Civil de Interesse Público - OSCIP, além desses espaços de fruição estética e de entretenimento - que lhe garantem um lugar singular entre outras instituições do gênero - desenvolve também pesquisas na área ambiental, ações educativas e um significativo programa de inclusão e cidadania para a população do seu entorno.












Arte Contemporânea

O acervo artístico abriga mais de 500 obras de artistas de renome nacional e internacional, como Adriana Varejão, Helio Oiticica, Cildo Meireles, Chris Burden, Matthew Barney, Doug Aitken, Janet Cardiff, entre outros. O Inhotim se diferencia de outros museus por oferecer ao artista condições para a realização de obras que apenas em seu parque poderiam ser construídas. 





















Jardim Botânico

Em uma área de 97 hectares, o Jardim Botânico conta com diversas coleções botânicas entre as quais se destacam a de Aráceas, uma coleção de orquídeas da espécie Vanda, com 350 indivíduos de diferentes espécies e, ainda, uma das maiores coleções de palmeiras do mundo com mais de 1.400 espécies. Pesquisas e projetos botânicos e paisagísticos são desenvolvidos em parceria com órgãos governamentais e privados.









Para conhecer mais: www.inhotim.org.br


ArquIdéias: Pelotas 200 anos - Parceria instala pelota no centro da cidade




Em abril de 2012 fui convidada pelo presidente do SINDUSCON / PELOTAS, o engenheiro Jacques Adolphe Gastão Reydams a elaborar o projeto de um quiosque com a finalidade de abrigar e expor a réplica de uma pelota, embarcação de couro da qual se originou o nome da cidade. A ação que movimentou diversos parceiros faz parte da comemoração dos 200 anos de Pelotas, começou com a exposição da pelota na 20ª Fenadoce e terminará com sua travessia no Arroio Pelotas, no dia 7 de julho, aniversário da cidade.

"O quiosque onde a pelota está exposta foi confeccionado pela empresa Fundacon Engenharia utilizando madeiras de desmanche e cobertura de couro, cedido pelo Curtume Yurgel. O projeto arquitetônico do local foi concebido pela arquiteta Thaís Libardoni. O jornalista Clayton Rocha, idealizador da travessia, está coordenando as ações."
Fonte: Diário da Manhã. Pelotas, 19 de junho de 2012 


Diário da Manhã. Pelotas, 19 de junho de 2012


A arquitetura simples, rústica, foi elaborada especialmente para o material escolhido: madeira de demolição. A cobertura de couro foi possibilitada pela doação do material do Curtume Yurgel. 

O projeto original ia ser implantado na Praia do Laranjal, previa uma possível ampliação para exposição de imagens e contava com cobertura de folhas de palmeira e iluminação especial, o que foi modificado ao longo do projeto devido ao horário da exposição ter sido reduzido, não chegando ao turno da noite.


Projeto prancha 01

"Para comemorar o aniversário de Pelotas, dia 7 de julho, a Comissão UFPel 200 Anos de Pelotas, coordenada pelo Chefe de Imprensa da Universidade, Clayton Rocha, o Parque Gaúcho, de Gramado, e o SINDUSCON/PELOTAS, promoverão a travessia de uma pelota pelo arroio que deu nome à cidade. A embarcação feita de couro foi reconstruída para relembrar a história do gaúcho, no memorial montado na cidade da região das Hortênsias.


Os responsáveis técnicos pelo parque Rodrigo Schlee e Fernanda Valente de Souza construíram a autêntica pelota de couro, que atravessará o Arroio Pelotas no aniversário da cidade. A embarcação servia para transportar mercadorias e também podia suportar pessoas.

A pelota foi construída em Gramado e esteve até ontem em exposição na 20ª Fenadoce. Para fazer a embarcação, foram utilizadas as mesmas técnicas e materiais da época em que seu uso era corrente.

O frequente uso de embarcações do tipo originou o nome do arroio e, posteriormente, o nome da cidade. A partir de desta segunda-feira (18), a pelota ficará exposta para toda a população no calçadão pelotense.

O que: Chegada da pelota (uma embarcação feita de couro reconstruída para relembrar a história da cidade de Pelotas) ao Calçadão da Rua 7 de Setembro, esquina com a 15 de Novembro para ficar exposta à população.Quando: Nesta segunda-feira, 18 de junho.Hora: 14h30min.Local: Calçadão em frente Café Aquarius."